Vídeo: imóvel ao lado de prédio que desabou em Rio das Pedras é demolido pela Defesa Civil

A família que morava no local não foi autorizada a buscar nenhum dos seus pertences por causa do risco de queda 

Imóvel ao lado de prédio que desabou é demolido pela Defesa CivilO DIA

Rio – O prédio ao lado do edifício que desabou em Rio das Pedras precisou ser demolido pela Defesa Civil do Rio. A destruição começou durante a tarde desta quinta-feira, com o uso de uma retroescavadeira. De acordo com o engenheiro do órgão, André Luiz Alves, a construção ficou extremamente comprometida e oferecia risco aos moradores.

Veja vídeo:

Prédio ao lado do edifício que desabou em Rio das Pedras é
demolido pela Defesa Civil do Rio
Crédito: #ODia pic.twitter.com/ibParsSx7B

— Jornal O Dia (@jornalodia) June 3, 2021

Leia Mais

Bombeiros confirmam segunda morte em desabamento em Rio das Pedras; pai e filha de 2 anos morreram

“O prédio lateral ficou instável e corria risco de desabar, por isso ele foi demolido até com o que tinha dentro. Em alguns imóveis, estamos deixando até as pessoas entrarem pra buscar pertences pessoais, mas ali não tinha como, porque tinha o risco até da pessoa ir e o prédio cair. O edifício ficou com a estrutura comprometida”, explicou o especialista.

Kerlim Cutrim, de 29 anos, morava no prédio que precisou ser demolido com a mãe, marido e as duas filhas, de 11 e 4 anos. Durante o desabamento da construção vizinha, uma parede invadiu o quarto de suas filhas, deixando a caçula com um ferimento na cabeça.

A jovem conta que os escombros chegaram a dificultar que ela e sua família saíssem de casa. “Ouvi um estrondo forte, pensei que fosse um raio. Mas logo depois vi o fogo e minha mãe entrou no meu quarto com a minha filha no colo, com um corte na cabeça. Eu já entrei em desespero, mas não conseguíamos sair, porque a parede deles caiu na minha porta, e eu não estava conseguindo abrir. Só conseguimos uns dez minutos depois, com a ajuda de uma vizinha”, recordou.

Kerlim afirma que só pensava em salvar suas filhas e se preocupava com a filha dos vizinhos, Maitê, que acabou falecendo. “Eu só queria tirar minhas filhas de casa e não tinha uma escada pra eu descer com elas. Vi aquilo tudo e estava preocupada com a bebê deles também. Eu não sei nem o que sentir, o que pensar com a dor deles. Se alguma coisa acontece com as minhas filhas, eu preferia ir junto com elas”, disse.

Ao ver tudo o que tinha sendo demolido, ela contou que o bem mais precioso ela conseguiu salvar: a vida. “Não ligo para nada material. Nós sempre demos um jeito, aqui todo mundo sempre correu atrás. Vamos nos virar e fazer tudo de novo. Não consigo nem me apegar a nada que paguei agora. Só fico aliviada de toda minha família ter saído viva”, finalizou.

Auxílio para as famílias atingidas pelo desabamento

A Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos, através da Subsecretaria de Gestão do SUAS (Sistema Único de Assistência Social), entregou colchões e cestas básicas como ações de respostas emergenciais às famílias atingidas pelo desabamento do prédio em Rio das Pedras. Uma articulação com o município do Rio de Janeiro para a concessão de insumos e provisões às famílias vitimadas também foi iniciada.

Para além dos referidos insumos, a Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos disse que vai providenciar a inserção das vítimas no programa Aluguel Social e a viabilização de segunda via de documentação através do Centro Comunitário de Defesa da Cidadania (CCDC).

Até o momento, a Defesa Civil interditou sete imóveis por causa do desabamento. A Secretaria Municipal de Infraestrutura e Habitação informou que é preciso aguardar a retirada de todos os escombros, pra depois avaliar se há necessidade de demolição dos prédios interditados. 

Via: O Dia
Próximo Post