20 °c
Nilopolis

Vereadora Benny Briolly muda de país após sofrer ameaças

De acordo com a assessoria de imprensa da parlamentar, desde que foi eleita, Benny já sofreu uma série de violências

A vereadora Benny Briolly (Psol)Imagem Arquivo

Rio – A vereadora Benny Briolly (Psol), primeira parlamentar trans eleita na cidade Niterói, precisou sair do país após ter sofrido ameaças de morte. De acordo com a assessoria de imprensa da vereadora, desde que foi eleita, Benny já sofreu uma série de violências.

“Não é de hoje que parlamentares negras, travestis, mulheres, LGBTQIA + e defensoras dos direitos humanos sofrem com a violência política dentro e fora dos espaços legislativos e de tomadas de decisões”.

Em dezembro de 2020, antes de ser empossada, Benny esteve no parlamento para acompanhar uma sessão. Na ocasião, um grupo de bolsonaristas liderados pelo também eleito Douglas Gomes se reuniam na frente da Câmara Municipal. No microfone, o referido vereador incitava seus eleitores a atacar a vereadora Benny.

Sob xingamentos e ameaças, a parlamentar precisou ser retirada da Câmara escoltada pela Guarda Municipal, que foi acionada por outros vereadores para assegurar sua integridade física. 

Na época, Douglas foi até suas redes sociais para falar sobre o caso. Referindo-se à vereadora pelo gênero masculino, ele a chamou de “mentiroso” e “moleque”.

“Nossa mandata já comunicou, informou e oficiou várias instâncias do estado brasileiro sobre a grave situação. Mas até o momento não foram tomadas medidas efetivas que protejam sua vida e seus direitos políticos”, disse a assessoria sobre Benny ter que sair do país. 

“Para assegurar sua vida, o Psol precisou tomar uma medida drástica de tirar Benny do país. O que é absurdo e incompatível com o estado democrático. Benny segue acompanhando as sessões plenárias da Câmara Municipal de Niterói, que por conta da pandemia estão sendo virtuais. Toda a equipe  segue firme trabalhando com muitas ações legislativas e a frente da Comissão de Direitos Humanos, da Criança e do Adolescente que a vereadora preside. Porém é inegável que o afastamento cercea seus direitos políticos e prejudica profundamente o exercício do cargo para qual Benny foi eleita: vereadora de Niterói”, finalizou.

Próximo Post