domingo, 24 de outubro de 2021
17 °c
Rio de Janeiro

Rio vai lançar edital para reabertura do CineCarioca Nova Brasília

Espaço é a primeira sala de cinema popular dentro de uma comunidade

Rio – A RioFilme e a Secretaria de Governo e Integridade Pública da prefeitura do Rio vão lançar no próximo dia 7, um edital para a operação do CineCarioca Nova Brasília, no Complexo do Alemão, na Zona Norte do Rio. Fechado desde dezembro de 2019, o espaço é a primeira sala de cinema popular instalada dentro de uma comunidade no Rio de Janeiro.

A reabertura do CineCarioca Nova Brasília atende a uma reivindicação da população do seu entorno, já que a sala é a única opção de cinema na área do Complexo do Alemão, que segundo Censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) de 2010, abrange cerca de 15 comunidades, com mais de 60 mil habitantes.

A nova inauguração do espaço vai ao encontro das metas da RioFilme de democratização do acesso à cultura, formação de plateia para o cinema e busca de equidade social e urbana entre os moradores do Rio. O setor de cultura e entretenimento, em especial em espaços coletivos, foi um dos mais impactados pela pandemia de covid-19. As salas de cinema tiveram sua vida financeira prejudicada pela necessidade da adoção do isolamento social.

A reabertura do CineCarioca Nova Brasília, com todos os critérios sanitários respeitados, traz boas expectativas não só para o público do cinema, mas também para a rede de trabalhadores da indústria criativa, que aguarda a retomada das atividades culturais. O contrato de gestão proposto no edital é de 24 meses, prorrogáveis por até cinco anos. O CineCarioca tem uma sala de exibição com 94 lugares, que obedece às regras de acessibilidade motora e equipamentos modernos de som e imagem.

O complexo conta também com tecnologia de acessibilidade sensorial, para áudio descrição e legenda descritiva, e uma bomboniere que deverá ser administrada pela nova gestora do espaço. A empresa vencedora do edital deverá se comprometer a exercer preços sociais nos ingressos, no valor máximo de R$10, garantindo a meia entrada a R$5 para estudantes, idosos, portadores de necessidades especiais, moradores do Complexo do Alemão e adjacências, durante todos os dias do ano. A RioFilme assegura subsídios para que os preços sociais sejam viáveis.

O edital estabelece também que a nova empresa gestora do espaço deverá se comprometer a oferecer ao público pelo menos quatro sessões diárias de filmes. Inaugurado em 2010, o CineCarioca Nova Brasília abriu o programa Praças do Conhecimento, ação realizada pela Secretaria Municipal de Habitação (SMH) da prefeitura do Rio, que levou equipamentos culturais e de lazer a comunidades periféricas da cidade. Desde a inauguração até o fim do ano de 2019, o CineCarioca Nova Brasília recebeu com cerca de 700 mil frequentadores em 11.990 sessões.

Durante seus primeiros quatro anos de operação, foram realizadas diversas atividades, como sessões escolares para mais de 10 mil estudantes da rede municipal de ensino. O Município do Rio de Janeiro possui uma discrepância relevante quanto à distribuição de salas de cinema em suas distintas regiões. Embora a Zona Norte concentre cerca de 40% da população do município, apenas 28% das salas de cinema da cidade estão localizadas nessa região. A Zona Norte tem, dessa forma, uma das maiores demandas reprimidas por novas salas de cinema da cidade.

No próximo dia 15, a região volta a contar com mais um espaço de entretenimento e cultura, com a retomada das atividades do CineCarioca Méier, administrado pela rede Kinoplex. O local estava fechado desde 13 de março do ano passado, em cumprimento às medidas restritivas para evitar o avanço da pandemia do novo coronavírus no Brasil. Inaugurado em 2012, o CineCarioca Méier funciona dentro do Centro Cultural João Nogueira, o Imperator.

Revitalizado recentemente, o espaço foi construído na década de 1950 no Méier, abrigando o antigo Cine Imperator, que possuía capacidade para atender um público de até 2,4 mil pessoas e foi o maior cinema da América Latina até o ano de 1986, quando uma queda na frequência nas salas de cinema de rua foi duramente sentida pelo empreendimento, que fechou suas portas. Com a revitalização do espaço como casa de shows e centro cultural, as raízes cinematográficas se mantiveram por meio do CineCarioca, que ocupa o segundo piso e conta com três salas, que possuem capacidade total para 389 pessoas, e uma bomboniere.

Via: O Dia

Próximo Post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *