Rio apresenta queda de índices de violência após determinação do STF, aponta relatório

Contudo, a proporção de tiroteios com vítimas – que ocorrem majoritariamente em casos com presença policial – se manteve estável

Rio – Um relatório da plataforma Fogo Cruzado e do Grupo de Estudos dos Novos Ilegalismos (Geni) da Universidade Federal Fluminense (UFF) apontou que, após a Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) 635 do Superior Tribunal Federal (STF) de suspender operações policiais em comunidades do Rio no período da pandemia, o estado apresentou uma diminuição em índices de violência. Segundo o estudo, a letalidade policial no ano de 2020 apontou uma queda de 34% com relação ao ano anterior, a maior redução anual dos últimos 15 anos.

Em todo o estado do Rio, a queda no número de tiroteios no período de 2020 foi de 23% em relação ao período anterior a determinação do STF. O número de pessoas baleadas caiu ainda mais: 26%. Contudo, a plataforma ressalta que a proporção de tiroteios com vítimas – que ocorrem majoritariamente em casos com presença policial – se manteve estável, “o que indica que o comportamento das polícias não mudou, elas apenas atuaram menos”. “Um tiroteio envolvendo agentes de segurança têm mais chances de terminar com pessoas baleadas do que de deixar as pessoas de fato mais seguras. No período anterior à ADPF os números eram praticamente os mesmos, mostrando que a medida não alterou o comportamento das polícias”, explica a diretora de Programas da plataforma, Maria Isabel Couto.

Próximo Post