Repescagem de vacina para quem tem mais de 33 anos é neste sábado, no Rio

Quem está na idade indicada e ainda não se vacinou pode procurar os postos nesta sexta-feira (30) e no sábado. Próxima oportunidade será daqui a duas semanas e meia

Rio – Os postos de vacinação da cidade do Rio recebem nesta sexta-feira (30) e no sábado pessoas com 33 anos ou mais para a imunização contra a Covid-19. Estes serão os últimos dias de repescagem para quem tem mais de 33 anos e ainda não se vacinou com a primeira dose. A partir da próxima segunda-feira (2), o Rio começa a vacinar uma idade por dia, e a próxima repescagem será apenas na metade do mês de agosto, com data a ser confirmada.

O secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, fez um apelo para que os cariocas que não tomaram a primeira dose da vacina o façam já neste sábado. “Essa é a nossa última repescagem. Nas próximas duas semanas e meia nós não teremos repescagem. Pessoas com mais de 33 anos que não se vacinaram, por favor, se vacinem”, pediu o secretário.

A partir de segunda, cada dia será destinado a uma idade. A expectativa é que a população com mais de 18 anos seja toda vacina com primeira dose até o dia 18 de agosto. Depois, os meses de setembro e outubro serão estratégicos para a Secretaria Municipal de Saúde arredondar o projeto de vacinação da população: resgatar quem está em atraso com a vacina e reforçar a dose em idosos.

“O mês de setembro é o de repescagem de primeira dose. Bateremos os cadastros e faremos busca ativa. Nossa expectativa é que a população não vacinada esteja em menos de 10%. Também será o momento de a gente ir atrás da segunda dose. No mês de outubro, haverá reforço de terceira dose para os idosos com mais de 80 anos. Em novembro, com mais de 70. E em dezembro, com mais de 60”, detalhou Soranz.

Casos da variante Delta, em geral, são leves e evoluem para a cura, afirma secretário

A cidade do Rio atualmente apresenta 819 de variantes da Covid-19 – a P.1. ainda é a predominante, com 774 casos. A variante Delta, que tem preocupado especialistas e autoridades, soma 33 casos, seis deles registrados nas últimas semanas. Segundo o secretário de Saúde do município, Daniel Soranz, o quadro das infecções pela Delta não são graves, de modo geral. A pasta, porém, segue em alerta por conta do alto nível de transmissão, principalmente entre os mais jovens.

“São seis casos novos, e que hoje apresentam-se como casos de síndrome gripal mais leve. Não sabemos se essa infecção pela população mais jovem é por não ter se vacinado, ou se é efeito da variável, por ser mais infectante. Nenhum país conseguiu fechar essa conclusão ainda. O fato é: a gente vê que os casos de variante Delta são casos leves, que não tem gerado internações ou óbitos”, afirmou o secretário.

Balanço das variantes na cidade do RioREPRODUÇÃO DE VÍDEO

 A retomada à ‘normalidade’ desenhada pela prefeitura prevê três etapas:

A Prefeitura do Rio anunciou na quinta-feira um plano de retomada à normalidade em três etapas. Na última, pessoas poderão ficar sem máscara a maior parte do tempo. O sucesso depende do avanço da vacinação e da queda no número de internações e óbitos.

– A primeira, a partir do dia 2 de setembro, libera 50% de público em estádios, casas de show, boates, danceterias e festas fechadas. Para isso, será preciso comprovar a vacinação. A projeção da Saúde municipal é que, em setembro, 91% dos cariocas adultos já tenham tomado a primeira dose, 54% estejam totalmente vacinados e apenas 9% sem vacina. Aqui, 77% da população geral, incluindo adolescentes, estariam parcialmente imunizados

– Na segunda etapa, em outubro, a flexibilização prevê 100% da capacidade de público em estádios e em danceterias, boates, casas de show e festas em ambientes fechados. Nos dois casos, o público precisa estar vacinado com as duas doses.

– Na terceira etapa, em 15 de novembro, o uso de máscaras passará a ser obrigatório apenas no transporte público e nos estabelecimentos de saúde. Também está prevista a livre circulação na cidade, sem restrição de capacidade e distanciamento. A expectativa é que 93% de toda a população do Rio tenha tomado pelo menos a primeira dose, e 90% estejam totalmente vacinados.

 

Projeções da Prefeitura do Rio no avanço da vacinaçãoREPRODUÇÃO DE VÍDEO
Via: O Dia
Próximo Post