20 °c
Nilopolis

Relatório da Polícia Civil diz que decisão do STF permitiu avanço do crime organizado

Documento é referente à ação realizada no Jacarezinho, no último dia 6

Policiais civis fizeram uma operação na favela do Jacarezinho na quinta-feiraReginaldo Pimenta / Agencia O Dia

Rio – A Polícia Civil divulgou, nesta sexta-feira (14), um relatório sobre a operação realizada no Jacarezinho, no último dia 6. No documento, a corporação alega que a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) na ADPF 635, que proibiu a realização de operações policiais em comunidades do Rio de Janeiro durante a pandemia do covid-19, salvo em situações absolutamente excepcionais, tornou mais evidente o avanço do crime organizado.

Ainda segundo o relatório, a região do Jacarezinho, na Zona Norte, é considerada um dos “quartéis-generais” da facção Comando Vermelho (“CV”), por causa da dificuldade de operar no local. 

A corporação defende que, por meio das barricadas e das táticas de guerrilha realizadas pelos criminosos, o local abrigaria uma quantidade relevante de armamentos, que poderiam ser utilizados nas retomadas de favelas perdidas por facções rivais ou para se reforçar de possíveis investidas policiais.

A Polícia diz que o número de barricadas colocadas por criminosos nas ruas da comunidade cresceu depois da decisão do STF. Ainda de acordo com a corporação, as barreiras permitem que os traficantes consigam fazer disparos de fuzil precisos através de seteiras em muros de concreto e outros abrigos no momento em que os policiais desembarcam dos blindados para remover as barricadas.

Este foi o caso do policial André Farias, morto com um tiro na cabeça logo no início da operação da Civil. A ação matou outras 27 pessoas. Segundo o delegado Felipe Curi, todos eram criminosos e não houve execução por parte dos agentes. A operação do Jacarezinho foi considerada a mais violenta da história do Rio.

Procurado por O DIA, o Supremo Tribunal Federal não respondeu aos questionamentos até o fechamento desta matéria.  

Veja o nome dos mortos:

Richard Gabriel da Silva Ferreira
Luiz Augusto Oliveira de Farias
Jonathan Araújo da Silva
Jonas do Carmo Santos
Márcio da Silva Bezerra
Carlos Ivan Avelino da Costa Junior
Rômulo Oliveira Lúcio
Francisco Fábio Dias Araújo Chaves
Cleyton da Silva Freitas de Lima
Natan Oliveira de Almeida
Maurício Ferreira da Silva
Ray Barreiros de Araújo
Guilherme de Aquino Simões
Pedro Donato de Sant’ana
Isaac Pinheiro de Oliveira
Omar Pereira da Silva
Marlon Santana de Araújo
Bruno Brasil
Pablo Araújo de Mello
John Jefferson Mendes Rufino da Silva
Wagner Luiz Magalhães Fagundes
Matheus Gomes dos Santos
Rodrigo Paula de Barros
Toni da Conceição
Diogo Barbosa Gomes
Caio da Silva Figueiredo
Evandro da Silva dos Santos

 

Próximo Post