Prefeitura suspende vacinação contra a covid-19 de profissionais da saúde sem aviso prévio

Os trabalhadores de 35 anos da área da saúde foram vacinados até o último sábado (8). O segmento foi um dos primeiros a receber o imunizante por conta dos riscos de exposição à covid-19

Médicos e enfermeiros com menos de 35 anos estão entre os profissionais que tiveram o calendário de vacinação interrompido nesta segunda (10)Rovena Rosa/Agência Brasil

Rio – A vacinação da primeira dose para profissionais da saúde do Rio que estão na linha de frente contra a covid-19 foi interrompida nesta segunda (10), sem nenhum comunicado prévio da prefeitura. A Secretaria Municipal de Saúde não esclareceu os motivos para a decisão, que repercutiu de maneira negativa nas redes sociais. A campanha atendeu o segmento até o último sábado (8), imunizando pessoas com 35 anos.

Os profissionais da saúde foram um dos primeiros a receber a vacina contra a covid-19 junto aos idosos por conta dos riscos e da exposição à doença. A campanha do segmento estava mais adiantada em relação aos demais grupos prioritários, que também estão recebendo a primeira dose do imunizante por escalonamento de idade. A vacinação atende mulheres com 49 anos nesta segunda.

A decisão atinge diversos profissionais da área da saúde, entre médicos, enfermeiros, nutricionistas, farmacêuticos, odontólogos, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, biólogos, biomédicos, psicólogos, assistentes sociais, profissionais da educação física, veterinários, técnicos e auxiliares da área.

Uma das pessoas impactadas pela medida foi a nutricionista Alessandra Marques, de 30 anos. Caso a campanha tivesse sido mantida na mesma ordem dos dias anteriores, ela tomaria a vacina na próxima sexta (14).

“Estava animada, pois vinha chegando na minha vez. Eu atendo presencialmente no consultório e tenho uma filha de 1 ano. Queria muito estar vacinada. Fico decepcionada com a falta de informações e organização do calendário. Os casos de covid-19 só crescem no Rio, o transporte segue lotado e estamos expostos a novas variantes. Isso deixa a gente revoltado”, desabafou Alessandra.

A profissional de educação física Paolla Cardozo também foi afetada pela interrupção da vacinação. Ela tem 29 anos e contava com o imunizante para poder retornar ao trabalho de maneira presencial.

“A esperança de ser vacinada era justamente para o meu retorno ao presencial. Infelizmente, não divulgaram um novo calendário para esta semana e não houve qualquer comunicado, justificativa ou novas datas. Sem previsão nenhuma, o que é frustrante, tendo em vista que atendendo presencialmente tenho contato direto com alunos e pacientes”, afirmou.

Até o momento, não há previsão ou informação por parte da prefeitura do Rio sobre como ficará a vacinação dos profissionais da saúde com menos de 35 anos. Em São Gonçalo e Niterói, a imunização do segmento segue normalmente e esta semana atende trabalhadores com mais de 30 anos.

O vereador e presidente da Comissão Comissão de Saúde da Câmara do Rio, Paulo Pinheiro (PSOL), reclamou das constantes mudanças no calendário da vacinação no município e disse que alterações sem informação antecipada podem atrapalhar a vacinação na cidade.

“Quando não há doses, é compreensível interromper a vacinação. Mas se houver algum problema e for necessário fazer uma mudança, é importante vir a público para informar o que aconteceu. O calendário já foi mudado três ou quatro vezes, e essa mudança constante só se justifica quando há a falta da oferta dos imunizantes. Estão acontecendo muitas adaptações e isso é ruim, pois o nosso objetivo é dar o máximo de facilidade para as pessoas se imunizare”, afirmou.

Procurada pelo DIA, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) disse que os calendários de vacinação contra a covid-19 do município do Rio já divulgados estão disponíveis no site coronavirus.rio/vacina, com as devidas especificações dos grupos prioritários atendidos. O órgão também mencionou que datas futuras seriam divulgadas oportunamente, sem especificar se os profissionais da saúde seriam atendidos.

Questionado se o segmento da saúde integraria os atuais grupos prioritários que estão sendo vacinados a partir de 49 anos, a SMS não confirmou as informações.

Vacina Pfizer deve chegar no Rio nesta terça

O município do Rio de Janeiro aguarda a chegada de doses da vacina Pfizer/BioNTech pelo Ministério da Saúde (MS), que estão distribuindo o imunizante para todos os estados do país. A previsão é que uma nova remessa possa chegar na capital fluminense até terça-feira (11).

A vacina será destinada para a primeira aplicação em pessoas com comorbidades, gestantes, puérperas e pessoas com deficiência permanente. 

*Estagiário sob supervisão de Thiago Antunes

Próximo Post