Prefeitura do Rio desmonta construção irregular operada por grupos criminosos no Recreio

Em janeiro, a Defesa Ambiental já havia interditado o espaço que ficava em uma Área de Preservação Permanente, mas ele voltou a ser explorado comercialmente

Rio – A Secretaria de Meio Ambiente da Prefeitura do Rio (SMAC) realizou uma operação, na manhã desta quinta-feira (17), para demolir uma construção irregular, retirar diversas ocupações escondidas na mata e desfazer um estacionamento que funcionava em área pública, na embocadura do Canal do Rio Morto com a Praia da Macumba, no Recreio dos Bandeirantes, Zona Oeste do Rio.

Duas toneladas de lixo foram retiradas na ação. Os acampamentos na mata e a construção ilegal na faixa de areia da praia eram utilizados como veraneio nos fins de semana e ficavam dentro de uma Área de Proteção Ambiental (APA) da Prainha e Grumari. O local também era utilizado para guarda de materiais de vendedores ambulantes, o que ocasionava acúmulo de lixo.

Prefeitura realiza demolição de construção irregular operada por grupos criminosos no Recreio, na Zona Oeste do Rio.#ODia pic.twitter.com/z2hEnHkV6b

— Jornal O Dia (@jornalodia) June 17, 2021

O estacionamento irregular já havia sido alvo de uma ação da SMAC no dia 26 de janeiro, quando a entrada do espaço foi destruída pela retroescavadeira da prefeitura, que também fez valetas para impedir o acesso de veículos.

O local foi recuperado por grupos criminosos que exploravam a atividade comercial ilícita e instalaram barreiras de concreto e valas profundas para impedir o acesso da fiscalização na região e cobravam uma taxa de R$ 20 por veículo estacionado. A capacidade do estacionamento ilegal era de aproximadamente 70 veículos e os invasores não tinham alvará de funcionamento para realizar a atividade.

A demolição foi realizada em uma ação conjunta que contou com o apoio do 31º Batalhão de Polícia Militar (Recreio), da Guarda Municipal, da Secretaria Municipal de Ordem Pública e da Comlurb. A APA tem 966,32 hectares e foi criada por decreto municipal, em 1986.

Via: O Dia
Próximo Post