Polícia utilizará dados de outra morte por asfixia na investigação sobre casal encontrado morto no Leblon

Caso aconteceu em 2012; estudante morreu no mesmo andar que Nathalia e Matheus foram encontrados

Rio – O prédio onde Nathalia Guzzardi e Matheus Viana foram encontrados sem vida na última terça-feira já possuía um histórico de morte por asfixia. Em 2012, a estudante Camila Ribeiro foi encontrada morta no mesmo andar. Na época, ficou comprovado que a morte foi por conta monóxido de carbono inalado no banheiro de um apartamento. Segundo uma reportagem do RJTV, um funcionário alertou à polícia que outra moradora do prédio passou mal por conta do mesmo motivo. A Polícia Civil vai utilizar as informações na investigação do novo caso.

Peritos do Instituto de Criminalística Carlos Heboli (ICCH), técnicos da Naturgy e  da agência reguladora de energia já fizeram vistorias nas instalações, na rede de gás e nas tubulações de aquecedores de água do prédio e fizeram testes para detectar gases gerados dentro do banheiro quando o aparelho está em funcionamento. 

Próximo Post