Polícia investiga aliança entre milicianos Toni Ângelo e Tandera

Após a morte de Ecko, dupla pode ter se unido para controlar todas as áreas que eram dominadas pelo antigo desafeto

Rio – Após a morte de Wellington da Silva Braga, o Ecko, a Polícia Civil abriu inquérito para investigar as linhas de sucessão do criminoso. Uma delas é uma aliança entre o ex-policial militar Toni Ângelo de Souza Aguiar, o Toni Ângelo ou Robin, e o miliciano Danilo Dias Lima, conhecido como Tandera. A informação é do delgado Willian Pena Júnior, diretor da Delegacia de Repressão as Ações Criminosas Organizadas e Inquéritos Especiais (Draco). Ecko foi morto no último sábado, ao reagir uma operação da Força-Tarefa montada para combater a milícia do Rio. 

Outros três cenários são investigados: “o primeiro é Tandera tentar retomar o território, já que a área foi rachada no ano passado. O segundo cenário é a maior facção criminosa tentar invadir, já que a região era originalmente deles, e a última hipótese é a própria milícia se organizar e tentar fazer uma escolha de um sucessor para Ecko”, pontuou Willian Pena.

Próximo Post