domingo, 24 de outubro de 2021
17 °c
Rio de Janeiro

Polícia indicia escultor de areia em Copacabana pelo crime de homofobia contra influenciadores

Caso aconteceu na noite de 23 maio. O casal gravou imagens dos ataques de homofobia e publicou nas redes sociais

Rio – A Polícia Civil indiciou um homem que trabalha como escultor de areia na Avenida Atlântica, em Copacabana, na Zona Sul do Rio, pelo crime de injúria qualificada em razão da orientação sexual, por homofobia contra o casal de influenciadores digitais. De acordo com as investigações  realizada pela 13ª DPª (Ipanema), delegacia responsável pelo caso, Juliano Gomes Soares fez xingamentos contra o apresentador Rafael Vieira e o DJ Felipe Ferreira, quando os dois andavam de mãos dadas na orla do bairro na noite de 23 de maio.

O casal passava por um quiosque quando foi abordado por Juliano, que proferiu os comentários ofensivos. Nas redes sociais, o apresentador e o DJ divulgaram as imagens gravadas durante o episódio e relataram que o homem ficou gritando diversas vezes que eles precisavam “virar homens”. “Registramos parte de tudo o que aconteceu, mas já é o suficiente para vocês sentirem como foi. E sim, estamos em buscas dos nossos direitos porque homofobia é crime. Fazemos isso não apenas por nós, mas por tantos outros que esse cara ofendeu, e por tantos outros iguais a ele”, escreveu Felipe na época.

Próximo Post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *