Polícia apreende mais de uma tonelada de drogas durante megaoperação no Rio

Ação para prender traficantes de outros estados resultou na morte de dois suspeitos e na prisão de oito pessoas. Um adolescente de 16 anos morreu dentro de casa depois de ter sido atingido na cabeça

Rio – A megaoperação desta sexta-feira, realizada entre as polícias Civil e Militar do Rio e as polícias civis do Pará e Amazonas, resultou na apreensão de mais de uma tonelada de drogas, entre maconha e cocaína. Os entorpecentes, avaliados em mais de R$ 1 milhão, foram encontrados por PMs na Vila Cruzeiro, no Complexo da Penha. 

De acordo com o delegado Rodrigo Oliveira, subsecretário da Polícia Civil, mais de 500 agentes participaram da operação ‘Coalização do Bem’, que tinha como objetivo prender traficantes de outros estados que estão refugiados no Rio. A ‘Coalização do Bem’ foi desarticulada para prender traficantes de fora da cidade que estão buscando refúgios nas comunidades cariocas. 

Ao todo, 14 pessoas foram presas. Sete criminosos foram presos no Rio e outros sete em São Paulo e Manaus. Entre os presos está o traficante Marcelo Silva, o Jogador ou Marcelão, chefe do tráfico na Norte do país e acusado de orquestrar os ataques da última semana em Manaus. 

Segundo o subsecretário, três suspeitos foram baleados na operação. Dois deles não resistiram e morreram. Ainda segundo a Polícia Civil, um adolescente de 16 anos foi baleado na cabeça e morreu a caminho do hospital. Ele estava dentro de casa quando foi atingido. A polícia disse que a operação não se estendeu até à localidade onde o jovem foi baleado. 

Conforme publicado com exclusividade pelo DIA, a polícia já vinha investigando essa ligação entre o Comando Vermelho do Rio e de outros estados. A estimativa é que mais de 100 traficantes de outras cidades estejam no Rio. 

Para o delegado Marcus Amim, diretor da Delegacia de Combate às Drogas (Dcod), a decisão do STF em suspender ações policiais em comunidades do Rio durante a pandemia da covid-19, “abriu a porteira para migração de traficantes de outras regiões para o estado”.  

Via: O Dia
Próximo Post