Padre de Miracema escreve carta contra a criação de Centro LGBTQIA+ na cidade

O sacerdote José Olavo Pires disse que o espaço será instalado em ponto 'distinto e tradicional' da cidade; Vereador pediu mais empatia e respeito

Rio – O padre José Olavo Pires Trindade, da Capela Nossa Senhora de Fátima, em Miracema, no Noroeste Fluminense, circulou uma carta na última quinta-feira (24), se mostrando contrário à instalação do primeiro Centro de Cidadania LGBTQIA+ na cidade. O Centro, que ficará localizado na Praça das Mães, em frente à Igreja Matriz de Santo Antônio, faz parte do Programa ‘Rio sem LGBTIFOBIA’, do Governo do Rio.

O sacerdote inicia a carta dizendo que o centro ficará “em um local distinto e tradicional” da cidade, no Solar D. Brasileira. “Não há um fim mais legítimo e adequado – democraticamente – para o uso desse solar? Não poderia se instalar ali a Casa dos Conselhos do município, órgão tão útil e benemérito posto em local acanhado e pouco confortável a suas funções?”, questionou.

Em um outro trecho, o padre diz que a escolha do local vai de desencontro “à maioria das famílias miracemenses em sua quase totalidade”. Ele segue: “Não uso de ofensas, de achincalhe, nem discriminação pessoal contra ninguém, mas gostaria que respeitassem o modo de ser tradicional e cristão da maioria das famílias”.

O posicionamento do padre José Olavo Pires Trindade repercutiu nas redes sociais. Alguns perfis discordaram das palavras do sacerdote. “Padre Olavo deu mais visibilidade ainda ao movimento. Quem não sabia da criação do centro de defesa dos direitos LGBTQIA+ em Miracema, agora sabe e jajá vira referência na região”, escreveu um perfil.

Próximo Post