MPRJ mantém decisão de ser responsável por investigação de operação do Jacarezinho

Ministério Público afirmou que apura o caso através de um Procedimento Investigatório Criminal, conduzido por uma Força-Tarefa

Policia – Policiais civis fizeram uma operaçao na favela do Jacarezinho, na zona norte, na manha de hoje. Pelo menos 25 mortos ate o momento e entre as vitimas fatais esta um policial civil. Operaçao e realizada para prender traficantes que aliciam menores de idade para o crime.Reginaldo Pimenta / Agencia O Dia

Rio – O Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) manteve a decisão de fazer uma investigação própria da operação da Polícia Civil que vitimou 28 pessoas no Jacarezinho, Zona Norte. Em nota, o MPRJ explicou que apura o caso através de um Procedimento Investigatório Criminal, conduzido por uma Força-Tarefa, seguindo a determinação do Supremo Tribunal Federal (STF).

“Não houve rejeição de apoio, o MPRJ apenas afirma que não fez qualquer pedido à Polícia Federal porque está realizando a investigação por meio de PIC próprio, conforme determinação do STF. A investigação será realizada pelo MPRJ e não pela Polícia Federal”, afirmou o órgão.

Na quarta-feira, coordenadas pelo Ministério Público Federal, onze instituições pediram pela apuração independente da operação considerada a mais letal da história do Rio, que aconteceu no dia 6 de maio. No ofício, o Grupo de Trabalho de Defesa da Cidadania pediu que a investigação tenha a participação da Polícia Federal (PF).

O grupo acredita que há “indícios de execução sumária de adulteração de cenas de crime” e que não quer que o caso termine sem punições. Para isso, o GT pediu que o MPRJ fizesse uma investigação particular ao invés de se limitar às provas da Polícia Civil. “A ausência de preservação das cenas de crime e a apresentação de pouco mais de 20 armas para perícia, em uma operação que contou com 200 agentes, já revelam, por si só, um descompromisso com a busca da verdade real”, destacou o documento.

Próximo Post