quinta-feira, 28 de outubro de 2021
17 °c
Rio de Janeiro

Morre Camilo Mariano, um dos maiores bateristas do Brasil

Natural do Maranhão, ele tocou com Tim Maia, Elba Ramalho, Alcione e outros grandes nomes da MPB, em 40 anos de carreira

camilo2 22564531

Rio – A Música Popular Brasileira perdeu, nesta quarta-feira (28), um de seus mais talentosos músicos, o baterista Camilo Mariano, aos 66 anos. Ele sofreu uma parada cardiorrespiratória e não resistiu. Recentemente, Camilo havia descoberto um câncer, além de enfrentar outros problemas de saúde. O enterro será nesta quinta-feira (29), às 11h30, no Cemitério do Catumbi, no Rio.

Natural de São Luís do Maranhão, ele tinha mais de 40 anos de profissão, tendo trabalhado em shows e gravações de Tim Maia, Elba Ramalho, Alcione, Beth Carvalho e dezenas de outros grandes nomes da MPB. Nos últimos anos, fazia parte da banda do grupo Sorriso Maroto.

Nas redes sociais, artistas lamentaram a morte do baterista. “O Brasil perdeu um excelente músico e eu perdi um amigo, conterrâneo! Baterista que dominava todo e qualquer ritmo com perfeição. Fará muita falta no mundo de percussão. Siga em paz, Camilo Mariano! Deus te receba em seu Reino de Luz”, postou a cantora Alcione.

“Obrigado por tudo, vai ser difícil voltar para o estúdio e não encontrar com você, grande amigo”, escreveu Dudu Nobre. “Vai na paz, meu irmão! Seu som continuará aqui com a gente pra sempre”, lamentou Pretinho da Serrinha.

“Perdemos Camilo Mariano, meu amigo, meu colega, baterista de todos os meus discos autorais. É muito natural que quando perdemos um amigo os elogios à pessoa sejam fáceis de serem desfilados, mas as características pessoais do Camilo são dignas de serem destacadas, muito por conta dos tempos baixo astral que vivemos. Procure saber. Camilo gravou nos discos dos artistas de ‘A’ a ‘Z’, de vários gêneros. Trabalhou nos palcos com outros tantos, no Brasil e no exterior, um músico de um imenso talento, profissional muito bem-sucedido, com ‘P’ maiúsculo, em todos os sentidos que a profissão exige”, escreveu o violonista e cantor Cláudio Jorge.

Via: O Dia

Próximo Post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *