20 °c
Nilopolis

Morador de Rio das Pedras desabafa após desabamento e resgate de gatinho

Jovem diz que acordou durante a madrugada e ajudou no resgate das vítimas. Durante um incêndio, ele teve que deixar o imóvel e abandonar seu animal de estimação para trás. Ao ver que o felino estava vivo, chorou

Jovem que ajudou em resgate de vítimas do desabamento chora ao ver seu animal de estimação sendo resgatado em Rio das PedrasReprodução

Rio – A tragédia que destruiu uma família em Rio das Pedras, deixando pai e filha mortos, nesta quinta-feira, foi marcada por momentos emocionantes e de angústia. O choro, que começou ainda durante a madrugada e se estendeu por toda a manhã, deu lugar ao sorriso, meio que tímido, de um rapaz desempregado que viu sua companheira, a gatinha Crystal, sendo resgatada por socorristas do Corpo de Bombeiros. 

Aos jornalistas, o jovem Felipe Santos contou que acordou na madrugada para socorrer os vizinhos. Ele estava em imóvel ao lado do prédio que desabou. 

“Lamento pelas pessoas que perderam a vida, que perderam seus familiares. Fiz de tudo para ajudar. Tirei todo mundo do prédio e depois tentei socorrer ela (gata), mas não consegui. Ajudei as pessoas, mas quando voltei, o prédio começou a pegar fogo e tive que deixar ela para trás”, disse o rapaz. 

Morador fala sobre resgate em prédio que desabou em Rio das Pedras
Crédito: Daniel Castelo Branco / Agência O Dia#ODia pic.twitter.com/cDf48R3ZZU

— Jornal O Dia (@jornalodia) June 3, 2021

No desabamento do prédio de quatro andares, quatro pessoas ficaram feridas e duas morreram. As vítimas fatais são Natan de Souza Gomes, de 30, e a filha de dois anos, identificada apenas como Maitê. A mãe da criança, Kiara Abreu, de 26 anos, foi resgatada após seis horas soterrada. Ela está internada no Hospital Municipal Miguel Couto, na Zona Sul do Rio. Seu estado de saúde é considerado grave, segundo a Secretaria Municipal de Saúde.

Os outros familiares, duas irmãs e o marido de uma delas, foram levados para o Hospital Municipal Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca e receberam atendimento médicos. Nenhum deles se feriu com gravidade.

De acordo com a Defesa Civil, quatro imóveis foram interditados e os moradores tiveram que deixar suas casas.  Por mais de sete horas, centenas de pessoas tiveram o fornecimento de energia suspenso. A Prefeitura do Rio confirmou que o imóvel que veio a baixo era irregular e não tinha documentações de habitação. 

O prefeito do Rio, Eduardo Paes, esteve no local. À imprensa, disse que a presença da milícia não vai impedir que a prefeitura continue trabalhando para acabar com as construções irregulares, principalmente em regiões da Zona Oeste. 

O governador Cláudio Castro acompanhou o trabalho dos socorristas e colocou o Governo do Estado a disposição da prefeitura. “Tem mais prédios com problemas, estamos trabalhando em parceira. Lamentamos as perdas”, disse.

Em nota, a Polícia Civil disse que o caso é investigado pela 32ª DP (Taquara). Os agentes aguardam a conclusão do trabalho dos Bombeiros para periciar o local. 

Via: O Dia
Próximo Post