Rio – Milicianos liderados por Wellington da Silva Braga, o Ecko, estão extorquindo comerciantes da Gardênia Azul, na Zona Oeste do Rio, em, pelo menos, 62 pontos da comunidade. Policias da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco) fizeram um mapa indicando a área de atuação dos criminosos, que exploram mais de 300 vítimas com cobranças ilegais de taxas de segurança e permissão de funcionamento.

O levantamento, a qual O DIA teve acesso com exclusividade, foi feito após a prisão de Alberto Domingos Teixeira Bastos, conhecido como Beto Bala, de 39 anos, apontado como um dos gerenciadores de cobranças da milícia. Com o paramilitar, os agentes apreenderam centenas de fichas de prestação de contas.

A polícia acredita que o Bonde do Ecko fature mais de R$ 1 milhão, por mês, só com cobranças extorsivas a comerciantes da Gardênia Azul.

“Nessas fichas estavam alguns endereços e os nomes das vítimas, com os valores que cada uma tem que pagar mensalmente para a milícia, a data do pagamento. É uma taxa ilegal e extorsiva de segurança. Apreendemos mais de 300 fichas de prestação de contas e conseguimos fazer esse mapeamento, baseado nos endereços dos comerciantes explorados. Mas isso foi só no que a gente apreendeu, ainda tem outros, com certeza”, explicou o delegado Willian Pena, titular da Draco.

Os valores cobrados pelos paramilitares varia de acordo com o tamanho do comércio. Enquanto algumas vítimas pagam R$ 50 mensalmente, outras chegam a pagar R$ 140, conforme mostram os documentos da contabilidade da organização criminosa.

Segundo as investigações da especializada, além da cobrança da taxa de segurança, os milicianos também monopolizaram a venda de cestas básicas na comunidade. A Draco ainda apura se Ecko estaria lucrando também com agiotagem, realizando empréstimos de dinheiro sob juros abusivos. “Além disso, eles também tem o monopólio da venda de gás e do gatonet”, complementou Pena.

Miliciano controla extorsões para Ecko 

Beto Bala é apontado pela Polícia Civil como responsável por controlar as extorsões e cobrá-las. Ele foi preso, na última quarta-feira, por agentes da Draco, na Taquara, na Zona Oeste do Rio.

Os agentes foram checar uma denúncia de que o miliciano estava abrigando dois comparsas, identificados como Lesk e Van Diesel, que estão foragidos e figuram em cartazes do Disque-Denúncia.