Justiça Federal torna Witzel, esposa e mais 10 réus por organização criminosa

Denúncia aponta que os réus promoveram e integraram uma organização criminosa que tinha por finalidade a prática de crimes de corrupção ativa e passiva, fraudes às licitações e peculato no Estado

Rio – A Justiça Federal aceitou, nesta quarta-feira, a denúncia apresentada pelo Ministério Público Federal (MPF) contra o ex-governador Wilson Witzel, a esposa dele, Helena Witzel, e mais 10 pessoas por organização criminosa. Na denúncia, o MPF aponta que os réus, de modo consciente, voluntário, estável e em comunhão de vontades, promoveram e integraram uma organização criminosa que tinha por finalidade a prática de crimes de corrupção ativa e passiva, fraudes às licitações e peculato, além da lavagem de recursos financeiros desses crimes, que foram parcialmente destinados ao exterior, especialmente Portugal e Uruguai.

Segundo o MPF, a organização criminosa teria se utilizado de uma rede complexa de empresas constituídas por pessoas próximas ao Witzel, que teriam realizado pagamentos sistemáticos de propina a diversos agentes público, com intuito de fechar ou manter seus contratos com o Governo do Estado, utilizando o escritório de advocacia de Helena para a emissão de notas fiscais relativas a serviços advocatícios não prestados.

Próximo Post