Justiça expede mandado de prisão por engano para endereço do cientista de dados preso injustamente

Raoni Lázaro Barbosa foi confundido mais uma vez com o miliciano Raony Ferreira dos Santos. 'É uma situação de revolta, indignação, e até de tristeza em relação ao judiciário'

Rio – O cientista de dados Raoni Lázaro Barbosa foi vítima mais uma vez de um erro judicial. A Justiça emitiu um mandado de prisão ao endereço de Raoni, em Campo Grande, na Zona Oeste do Rio, por engano, quando deveria ter sido expedido para o miliciano Raony Ferreira dos Santos, que mora em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. A 1ª Vara Criminal Especializada comunicou, nesta quarta-feira (15), que foi informada pela mídia sobre o erro e determinou a retificação do mandado após verificar que o endereço do réu indicado na denúncia do Ministério Público estava errado. 

Raoni ficou preso por 23 dias na Cadeia Pública José Frederico Marques, em Benfica, na Zona Norte do Rio, ao ser confundido com o miliciano Raony, conhecido como Gago, em uma operação da Delegacia de Repressão as Ações Criminosas Organizadas e Inquéritos Especiais (Draco).

“É uma situação de revolta, indignação, e até de tristeza em relação ao judiciário. O meu caso foi divulgado pela mídia e eles ainda cometeram erro. Olha só a falta de cuidado. Imagina outros casos, que não tiveram repercussão na mídia como o meu. É complicado”, disse Raoni ao DIA.

A esposa de Raoni, Erica Armond, contou que os advogados tomaram conhecimento do mandado de prisão contra o miliciano Raony, na terça-feira (14), mas para o endereço da residência do casal.

“O juiz acatou ao pedido do Ministério Público para o meu endereço e a noticia caiu como uma bomba. Quando a gente acha que o pesadelo acabou… É um sentimento de revolta, um sentimento que fica da própria Justiça que é de incompetência, eles generalizam as coisas, não tem um cuidado”, disse Erica.

O casal vai se reunir com os advogados para dar entrada em um processo contra os responsáveis pelo erro, além de tentar tirar os dados de Raoni dos registros policiais.

“O assunto agora é entrar na Justiça para limpar meu nome e tirar meus dados pessoais do banco de dados da Justiça, livrar o meu nome de qualquer registro da polícia. Em paralelo, a gente vai entrar com um processo contra os responsáveis, processar quem que tiver que processar”, disse Raoni.

“Cientificado pela mídia que houve erro no endereço do mandado de prisão de Raoni Ferreira dos Santos eis que a denúncia indicou o endereço do Sr. Raoni Lazaro, determino o recolhimento do mesmo e a substituição por outro com o endereço indicado pela Polícia Civil no depoimento prestado pelo réu, com urgência”, comunicou a 1ª Vara, em nota.

*Estagiária sob supervisão de Cadu Bruno

Próximo Post