Justiça do Rio dá 15 dias para Witzel explicar falas na CPI da Covid

Decisão acontece em função de um pedido da defesa do senador Flávio Bolsonaro, que argumenta que o ex-governador cometeu crimes contra a honra do senador

Rio – A Justiça do Rio deu 15 dias para que Wilson Witzel explique suas falas na CPI da Covid. A decisão acontece em função de um pedido da defesa de Flávio Bolsonaro, que argumenta que o ex-governador cometeu crimes contra honra do senador. Protocolado na sexta-feira (25), o documento sustenta que as falas de Witzel podem ser tipificadas como calúnia, difamação e injúria e pedem esclarecimento sobre dois momentos de seu depoimento: uma afirmação de que hospitais federais do Rio teriam “donos” e outra que faz alusão à morte da vereadora Marielle Franco.

Durante a oitiva na CPI, no dia 16, os ânimos ficaram agitados entre Flávio Bolsonaro, o ex-governador e Renan Calheiros (MDB-AL), relator da CPI. Na entrevista, o ex-governador voltou a dizer que a “perseguição” contra ele começou quando prometeu dar independência para a polícia investigar o assassinato da vereadora do Rio Marielle Franco. “A polícia chegou aos dois que moravam no condomínio do presidente. A partir daquele momento, o presidente não falou mais comigo”, disse Witzel sobre o caso Marielle.

Próximo Post