Irmãos e comparsas podem ser os sucessores de Ecko na milícia

Wellington da Silva Braga, miliciano mais procurado do estado, foi morto neste sábado (12). Criminoso herdou grupo de irmão Carlinhos Três Pontes, morto em 2017

Rio – Com a morte de Wellington da Silva Braga, o Ecko, a Polícia Civil já sabe quem podem ser os possíveis herdeiros na linha sucessória do grupo controlado pelo miliciano, que tinha sob seu domínio territórios extensos na Zona Oeste e Baixada Fluminense. O DIA apurou que entre quatro nomes, dois são irmãos de Ecko, o que daria o pontapé a uma terceira geração do crime na família Silva Braga – o irmão de Ecko, Carlos Alexandre da Silva Braga, o Carlinhos Três Pontes, foi o principal nome da milícia até sua morte, em abril de 2017.

‘Garça’ e ‘Latrel’, homens de confiança, podem assumir o poder, mas Luís Antônio da Silva Braga, o Zinho, e Wallace da Silva Braga, o Batata, irmãos de Ecko, também estão na ‘linha sucessória’ da milícia. Preso desde o mês passado, Wallace foi classificado como criminoso de alta periculosidade. A informação de tentativa de resgate, fez com que o irmão de Ecko fosse transferido para um presídio de segurança máxima. Em coletiva neste sábado (12), o delegado da Draco, William Pena, afirmou que haverá representação para que Wallace vá para um presídio federal.

Próximo Post