Homem que construiu imóvel que desabou disse que filha viu vidro estourar há 15 dias

Natural do Ceará, Genivan Gomes prestou depoimento nesta quinta-feira na 16ª DP. Ele afirmou que o imóvel era irregular e não tinha planta

Prédio de quatro andares desabou na madrugada desta quinta-feira em Rio das PedrasDaniel Castelo Branco / Agência O DIA

Rio – O dono do imóvel que desabou em Rio das Pedras afirmou em depoimento à 16° DP (Barra) que a filha percebeu que o vidro de uma janela havia estourado, há 15 dias, no terceiro andar. Genivan Gomes Macedo é pai de Nathan Souza Gomes, 30, e a avô de Maitê, de apenas dois anos, que morreram sob os escombros. A nora, Maria Quiara Abreu, esposa de Nathan, segue internada em estado grave.

Em depoimento dado na noite de quinta-feira, horas depois do acidente, Genivan contou que a filha Nathaniela, que morava no terceiro andar, percebeu que o vidro de uma janela da casa havia estourado. Mas que, na ocasião, a irmã de Nathan acreditou que alguém poderia ter arremessado uma pedra. O DIA teve acesso ao termo de declaração.

Genivan contou que construiu a casa na década de 1990, “não se recordando exatamente a data”. Em depoimento, ele disse à polícia que naquela ocasião tinha apenas um “barraco de madeira” nos outros terrenos. Também contou que fez construção aos poucos, conforme ia conseguindo pagar pela obra, e “que, ao final, o prédio ficou com o piso térreo e mais 4 andares”. Pedreiros diferentes realizaram as obras. Genivan disse também que “nunca foi feita uma planta do imóvel” ou contratou profissionais especializados.

No térreo, havia uma lan house, administrada pelo filho Nathan e frequentada pelas crianças da região. No primeiro andar, Nathan morava com a esposa Quiara e a filha Maitê.

O segundo andar não era habitado. No terceiro andar, a irmã de Nathan, Nathaniela Souza Gomes, morava com o marido. No quarto, Antônia, ex-esposa de Genivan e mãe de Nathan, morava com Tatiana, filha de um outro relacionamento.

Genivan saiu de casa há quatro anos, quando se separou da mulher, que foi quem ficou com o imóvel. O homem, que nasceu em Abaiara (CE), tinha planos de voltar para o Ceará. Ele mora no Rio desde 1982.

Via: O Dia
Próximo Post