Filha de mulher morta em desabamento de muro diz que devia ter morrido no lugar da mãe

Acidente aconteceu em Tribobó, São Gonçalo, após as fortes chuvas de domingo

Ana Paula e a filha única, Suelen Oliveira, de 11 anosArquivo pessoal

Rio – A família de Ana Paula Oliveira, de 34 anos, ainda tenta lidar com a morte da técnica de enfermagem após o acidente da noite de domingo (30) quando um muro caiu sobre ela, em Tribobó, São Gonçalo, Região Metropolitana do Rio. Outras três pessoas também se feriram, entre elas, Suelen Oliveira da Conceição, a filha de Paula. A tia da vítima, Maria de Souza, que também estava no local, disse que a menina de apenas 11 anos ficou desolada ao saber da morte da mãe: “Ela entrou em desespero dizendo que ela quem devia ter morrido. A mãe era tudo pra ela”, conta. Ana Paula será enterrada nesta terça-feira (1º), às 16h, no cemitério São Miguel, também em São Gonçalo.

O acidente aconteceu quando Ana Paula voltava do trabalho no fim da noite, depois de um plantão em um hospital particular de Niterói, e pediu aos tios e a filha para irem buscá-la de carro. A técnica de enfermagem aguardou no ponto de ônibus por causa da chuva intensa. Por volta das 21h30, Paula, os tios e a filha chegaram no portão de casa, foi quando ela desceu do veículo e o muro da casa do vizinho desabou em cima do carro onde a família estava. Ana Paula morreu no local do acidente.

O quartel dos bombeiros de Niterói foi acionado às 22h e encontrou quatro vítimas, que estavam no carro, sob os escombros. As vítimas feridas foram identificadas como Cláudio da Costa, 52 anos, Maria de Souza, 53 e Suelen Oliveira da Conceição, de 11 anos. Os tios tiveram ferimentos leves, já a filha de Ana Paula fraturou o tornozelo e vai precisar operar.

Via: O Dia
Próximo Post