20 °c
Nilopolis

Entidades do jornalismo repudiam ataque de apoiadores de Bolsonaro contra repórter da CNN

Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji) classificou o caso como uma 'violação à liberdade de imprensa'

Repórter da CNN sofre agressões verbais em ‘motociata’ em apoio ao presidente da República, Jair BolsonaroFoto: Reprodução / Twitter

Rio – Entidades do jornalismo se manifestaram contra as agressões que o repórter da CNN Pedro Duran sofreu enquanto cobria a “motociata” em apoio ao presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), que aconteceu na manhã deste domingo. A Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji) classificou o caso como uma “violação à liberdade de imprensa”. 

Isso é democracia? pic.twitter.com/QndM8BKBTi

— Rene Silva (@eurenesilva) May 23, 2021

“Tal comportamento é incentivado pelo presidente da República, que frequentemente propaga teorias conspiratórias, ofensas e discursos estigmatizantes contra jornalistas. A obstrução do trabalho da imprensa é antidemocrática e se espera dos poderes Legislativo e Judiciário uma posição firme em defesa dos direitos humanos e da civilidade na convivência entre cidadãos de diferentes opiniões”, afirmou a Associação.

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Município do Rio (SJPMRJ) e a Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ) também repudiaram os ataques sofridos por Duran. “Diante dos graves fatos registrados nessa manhã, o SJPMRJ e a FENAJ cobram das autoridades do município do Rio as providências necessárias no sentido de punir os responsáveis pela manifestação, que desrespeitou todas as medidas sanitárias de combate à pandemia e pôs em risco a vida de milhares de cidadãos cariocas. A liberdade de imprensa é um dos pilares da Democracia. E dela jamais abriremos mão”, pediram as organizações.

As agressões aconteceram enquanto o repórter tentava entrevistar o ex-ministro da Saúde, o general da ativa Eduardo Pazuello. Assim que perceberam, bolsonaristas cercaram o jornalista, o agrediram verbalmente e divulgaram os vídeos nas redes sociais. Um dos que compartilharam o vídeo de Duran sendo assediado por apoiadores de Bolsonaro foi o vereador de Niterói Douglas Gomes (PTC-RJ). 

Em nota, a CNN Brasil se posicionou contra os ataques sofridos pelo repórter Pedro Duran. “Acreditamos na liberdade de imprensa como um dos pilares da democracia. Os jornalistas têm direito constitucional de exercer sua profissão de forma segura, para noticiarem fatos, dentro dos princípios do apartidarismo e da independência”, escreveu. 

A CNN Brasil repudia todo tipo de agressão. Acreditamos na liberdade de imprensa como um dos pilares da democracia. Os jornalistas têm direito constitucional de exercer sua profissão de forma segura, para noticiarem fatos, dentro dos princípios do apartidarismo e da independência pic.twitter.com/JXFgcj4Hcg

— CNN Brasil (@CNNBrasil) May 23, 2021

Próximo Post