20 °c
Nilopolis

Deu ruim, Sandrão

Sandra Sapatão, uma das traficantes mais procuradas do Rio, foi presa na última sexta. Ela levava boa vida enquanto jovens da comunidade aliciados pelo crime enfrentavam a polícia sacrificando a própria vida

Agentes da Dcod prenderam Sandra Sapatão na Praia do Boqueirão, em Saquarema
Divulgação/PCERJ

Pé na areia, a caipirinha, água de coco a cervejinha… Beira do mar…

Você cantou a música do Diogo Nogueira, né?!

É, pois essa era a vida que uma das traficantes mais procuradas do Rio levava em Saquarema, quando foi surpreendida por policiais da Delegacia de Combate às Drogas, a Dcod.

O nome dela? Sandra Helena Ferreira Gabriel, mais conhecida como Sandra Sapatão. Ela é o retrato da covardia da hierarquia do crime organizado.

“Enquanto ela tomava água de coco no Balneário de Saquarema, jovens traficantes da comunidade enfrentavam a polícia com o sacrifício da própria vida. É assim que a cúpula do tráfico age.”

A fala é do delegado titular da Dcod, Marcus Amim, responsável pela investigação e prisão da criminosa.

A referência é do recente episódio do Jacarezinho, onde um agente da mesma delegacia foi executado por traficantes de lá, enquanto os chefões, a quilômetros, acompanhavam a movimentação da polícia e davam ordem pra matar policial!

O que Sandra não contava é que, a partir dali, com informações coletadas naquela operação, a vida boa estava com os dias contados.

Assim como Sandra, outros criminosos não ficam dentro da comunidade… A ordem é de enfrentamento. Poder bélico para eles não falta, e quanto mais subjugam a comunidade, mais poderosos ficam.

No Rio é assim: crianças sem oportunidade são presas fáceis da chamada cúpula!

Moram em barracos, sem qualquer estrutura familiar, muitas vezes com pai e mãe na cadeia e vivendo na linha da miséria.

Enquanto quem fatura alto, desfruta da boa vida de condomínios e se duvidar das grandes rodas…

3,2,1… É DEDO NA CARA!

Pingo no I

Se isso não for o exemplo coletivo da cegueira do país, eu sinceramente não sei mais o que é.

Ontem eu assisti ao vídeo no qual o colega Pedro Duran, repórter da CNN Brasil, é atacado por apoiadores do governo… E a sensação é de nojo, independentemente se você apoia ou faz oposição.

Como se não bastassem os quase 500 mil mortos, o desemprego e os direitos que não são garantidos eles ainda agridem aqueles que falam por eles… É surreal!

A gente gostaria muito que nota de repúdio ajudasse em alguma coisa, mas infelizmente a realidade não é essa.

Então, bora colocar o Pingo no I…

Quem apoia é quem mais deve cobrar. Ajudar na cortina de fumaça é participar do circo e querer ser o palhaço! Toda minha solidariedade ao repórter.

 

Próximo Post