Daniel Silveira não vai à manutenção de tornozeleira por estar de botinha ortopédica

Justificativa do parlamentar consta em relatório da Seap enviado ao STF

Rio – O deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ) se negou a fazer a manutenção da sua tornozeleira eletrônica. De acordo com justificativa enviada à Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), ele não poderia ir ao local por estar usando botas ortopédicas e muletas.

A resposta está em um relatório enviado, nesta segunda-feira, ao STF, pela secretaria responsável pelos presídios no Rio. No documento, a SEAP explica ainda que o deputado não explicou o motivo de estar usando a botinha e as muletas. A informação foi divulgada pela coluna do jornalista Guilherme Amado, do Metrópoles.

Próximo Post