CPI da Covid irá pedir explicações ao Governo e à Prefeitura do Rio sobre evento de Bolsonaro

Sem máscara, Bolsonaro fez um discurso aos apoiadores criticando as medidas de isolamento social impostas no país para conter o novo coronavírus

Bolsonaro sobe em trio elétrico para falar com apoiadores em evento de motociclistas no RioReprodução de vídeo

Rio – Vice-presidente da CPI da Covid, o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) afirmou que irá pedir mais informações ao Governo do Estado e à Prefeitura do Rio sobre a “motociata” que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) participou na manhã deste domingo. Sem máscara, Bolsonaro fez um discurso aos apoiadores criticando as medidas de isolamento social impostas no país. 

No município do Rio, está proibida a realização de eventos em áreas públicas até o dia 31 de maio. Além disso, o uso de máscara é obrigatório no município. “Vamos pedir informações do governo do estado do Rio e da prefeitura se houve autorização para este evento de hoje. Se não houve, cobraremos quais as providências serão tomadas para responsabilizar o presidente da República por conta da clara infração à ordem sanitária”, afirmou Randolfe, ao G1.

No Twitter, o senador Rogério Carvalho (PT-SE) criticou o evento durante a pandemia do novo coronavírus e a participação do ex-ministro da Saúde, Eduardo Pazuello. “Em comunicado de emergência, gestores do SUS alertam Bolsonaro para a chegada da 3° onda de mortes pela COVID. Uma fase mais cruel e mortal. O que Bolsonaro faz? Aglomera, não usa máscara e pior, seus apoiadores tampam alertas sanitários contra a COVID-19. CRIMINOSO!!!”, escreveu. 

Milhares de apoiadores participam de ‘motociata’ 

O evento, organizado por apoiadores do governo Bolsonaro, começou por volta das 8h da manhã e terminou no Monumento dos Pracinhas, local onde ocorreu o discurso do presidente, pouco antes das 12h. O ato contou com a participação de milhares de apoiadores. 

“Desde o começo, eu disse que nós tínhamos dois problemas: o vírus e o desemprego. Muitos governadores e prefeitos simplesmente ignoraram a grande maioria da população brasileira e, sem qualquer comprovação científica, decretaram lockdowns, confinamentos e toque de recolher”, disse o presidente, do alto de um trio elétrico posicionado a frente do monumento.

Próximo Post