20 °c
Nilopolis

Chefe do tráfico do Jacarezinho fugiu de ação policial vestido de mulher

Felipe Ferreira Manoel, o Fred do Jacarezinho, é apontado pela Polícia Civil como principal suspeito de ter ordenado ataque que terminou na morte do policial André Frias

Policiais utilizaram helicóptero durante a operaçãoDaniel Castelo Branco

Rio – A Polícia Civil abriu inquérito para apurar se a ordem do ataque contra os agentes envolvidos na operação do Jacarezinho, na última quinta-feira, teria partido do traficante Felipe Ferreira Manoel, o Fred do Jacarezinho. Na ocasião, três policiais civis foram baleados. O inspetor André Frias foi atingido na cabeça e não resistiu. Na ação, apontada como a mais letal da história do Rio, 27 suspeitos foram mortos. 

Segundo investigações, Fred conseguiu escapar da operação Expertis vestindo roupas de mulher. Segundo a polícia, ele está refugiado na comunidade do Mandela. Fontes da polícia apontam o traficante como o principal suspeito de ter atirado contra os policiais. 

Apesar do posto de liderança, Fred não era um dos 21 alvos da operação da semana passada. 

Além do trafico de drogas, Felipe Ferreira alvo de investigação em diversos crimes, como roubo, exploração de comércio ilegal no Jacarezinho; aliciação de menores e homicídios, entre eles o assassinato do policial militar Michel Falcão, em 2017, durante um tiroteio entre traficantes e policiais da UPP Jacarezinho. 

De acordo com a polícia, após a prisão do traficante Marcus Vinícius da Silva, o Lambari, Fred e o comparsa Adriano de Souza Freitas, o Chico Bento, assumiram o posto de chefia no Jacarezinho. Sandra Helena Ferreira, a Sandra Sapatão, também é acusada de comandar o tráfico na localidade. Todos, segundo a polícia, estão foragidos. 

Fred é foragido da Justiça e o Portal dos Procurados, vinculado ao Disque Denuncia, oferece recompensa por informações que levem à prisão dele. 

Ontem, o secretário de Polícia Civil, delegado Allan Turnowski, disse que os traficantes atiravam para matar policiais.

Turnowski garantiu que a Polícia Civil irá colaborar com as investigações do Ministério Público sobre a operação no Jacarezinho. 

O MPRJ criou na manhã desta terça-feira uma força-tarefa para investigar a operação da polícia durante a operação. Ela, que será coordenada pelo promotor André Luís Cardoso. O grupo vai apurar a conduta dos policiais durante a operação. 

Próximo Post