‘Capitão Braga’: Polícia encontra farda da PM na casa de Ecko

Uniforme, apreendido pela perícia da Delegacia de Homicídios (DHC), estava personalizado com sobrenome do miliciano e é idêntico ao usado por policiais militares do Rio de Janeiro

Rio – Equipes que participaram neste sábado (12) da operação de captura e morte de Wellington da Silva Braga, o Ecko, encontraram uma farda idêntica a da Polícia Militar na casa do miliciano. O uniforme com a patente de capitão, é personalizado, com as inscrições ‘Capitão Braga’ no peito, e o tipo sanguíneo A+. A farda foi apreendida pela perícia da Delegacia de Homicídios da Capital (DHC).

O DIA apurou que Ecko gostava de ser chamado de ‘Capitão Braga’ por seus comparsas, e que gostava de controlar seus soldados com o rigor militar.

Segundo fontes da Polícia Civil, no dia a dia da milícia, o líder criminoso determinava que seus comandados deveriam prestar continência, usar fardas completas e manter os coturnos sempre limpos. Apesar do hábito, Ecko jamais foi policial militar.

Em diversas ações anteriores contra a milícia de Ecko, a polícia já havia apreendido uniformes policiais em prisões de milicianos, algumas, inclusive, semelhantes as do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope).

Próximo Post