Ativistas LGBTQIA+ do Rio recebem Prêmio Cidadania, Direito e Respeito às Diversidades

A solenidade traz representatividade e visibilidade para pessoas desses grupos, além de promover o respeito, a inclusão e a tolerância às diferenças

Rio – O Prêmio Cidadania, Direito e Respeito às Diversidades foi entregue, nesta segunda-feira (28), data em que se comemora o Dia Mundial do Orgulho LGBTQIA+, para seis ativistas do movimento no estado do Rio de Janeiro. A solenidade traz representatividade e visibilidade para pessoas LGBTQIA+, além de promover o respeito, a inclusão e a tolerância às diferenças. A edição foi realizada de forma virtual e conduzida pela deputada Enfermeira Rejane (PCdoB).

“Esse segmento tem sobrevivido em um país intolerante, preconceituoso e homofóbico. É de suma importância realizarmos um evento que prestigie quem tem lutado com tanta determinação, garra e força para combater o preconceito e defender a diversidade. É preciso lutar pela visibilidade por oportunidades no mercado de trabalho”, comentou Rejane, autora do Projeto de Resolução 517/17 que criou o prêmio, que é concedido pela Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) desde 2017.

No encontro, o diretor da União Nacional de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais do Rio de Janeiro (UNA LGBT-Rio), Andrey Lemos, destacou que os crimes contra a comunidade LGBTQI+ têm crescido no Brasil. Só no ano passado, segundo dados da Associação Nacional de Travestis e Transexuais (Antra), 175 pessoas transexuais foram assassinadas no país. O número representa um aumento de 29% dos casos se comparado com o ano de 2019.

“Não cabe mais vivermos isso no Século 21. Lutamos pela liberdade de amar, construindo caminhos de afeto e solidariedade. Um prêmio como esse representa a valorização de quem atua no combate a esses crimes”, frisou.

Próximo Post