20 °c
Nilopolis

Após aceno de Paes para retomada de grandes eventos, especialistas sinalizam: ‘Rio não é uma ilha’

Número de vacinados associado à reduções de casos e óbitos podem justificar a volta das festas na cidade, mas panorama precisa ser nacional

Rio – Após o prefeito Eduardo Paes sinalizar mais uma vez, nesta quinta-feira, a retomada dos grandes eventos na cidade, especialistas pedem cautela no planejamento. De acordo com dois médicos ouvidos pelo DIA, é necessário que haja queda dos indicadores e aumento na vacinação em todo país antes de se pensar em eventos como Réveillon e Carnaval. “O Rio não é uma ilha. Não está isolado”, disse a pesquisadora em saúde e membro do comitê de combate ao coronavírus da UFRJ, Chrystina Barros. Até esta quinta-feira, o Rio já vacinou 2,404 milhões de pessoas, cerca de 35,6% da população carioca, segundo o Painel Rio Covid-19.

A retomada dos eventos foi assunto de Paes em várias ocasiões, entre elas uma postagem no Instagram, nesta quinta, em que ele projeta o Carnaval 2022. “É Rio na alma. Xô, coronavírus! Bora vacinar! Vai ter carnaval! Em tempo: Por enquanto, usem a máscara e sigam as regras, hein.”, disse o prefeito na legenda de um vídeo em que aparece na Sapucaí, em 2017.

Próximo Post