20 °c
Nilopolis

Antigo Vale-Transporte deixa de ser aceito em cidades da Região Metropolitana

Dia 11 de junho é o último dia que os equipamentos dessas cidades farão a leitura do antigo cartão

É possível substituir o cartão antigo pelo novo modelo, na cor laranja – RioCard Mais / Divulgação

É possível substituir o cartão antigo pelo novo modelo, na cor laranjaRioCard Mais / Divulgação

Rio – O antigo Vale-Transporte vai deixar de ser aceito em cidades da Região Metropolitana a partir deste sábado. Os validadores dos ônibus municipais, intermunicipais e do corredor BHLS Transoceânica dos municípios de Niterói, São Gonçalo, Maricá, Tanguá, Itaboraí, além do sistema de barcas (linhas Rio-Niterói, Paquetá, Cocotá, Ilha Grande, Mangaratiba e Angra dos Reis) serão atualizados.

Dia 11 de junho é o último dia que os equipamentos dessas cidades farão a leitura do antigo Vale-Transporte. Após esta data, só conseguirão embarcar nos meios de transporte os clientes que apresentarem o novo Vale-Transporte, na cor laranja. As equipes de atendimento continuarão trabalhando em pontos estratégicos nos principais modais, e as lojas Riocard Mais seguem como opção aos clientes que perderam o prazo de troca do cartão.

“Pedimos aos clientes que estão saindo de casa para trabalhar que troquem os seus cartões nos meios de transporte que utilizam ou aproveitem o horário de atendimento estendido nas nossas lojas. Desmobilizaremos a estrutura dia 2 de julho e somente as lojas Riocard Mais realizarão o serviço”, explicou Melissa Sartori, gerente de Marketing da Riocard Mais.

As equipes de troca dos cartões atuam nas estações mais movimentadas dos principais meios de transporte, assim como em terminais rodoviários no Rio e na Região Metropolitana. A Riocard Mais indica o atendimento virtual pelo WhatsApp (2127-4000) ou por meio do site para o cliente buscar o posto de troca mais próximo e conferir as datas de atualizações de seus respectivos meios de transporte.

A primeira etapa de atualização contemplou Duque de Caxias, Magé, Guapimirim e Itaguaí e teve fim em 4 de junho. Niterói, São Gonçalo, Maricá, Tanguá, Itaboraí, além de todo o sistema de barcas terão os equipamentos ajustados dia 11. A próxima etapa de atualização está prevista para 18 de junho e será realizada no sistema de trens da SuperVia e nos municípios de Nova Iguaçu, Belford Roxo, Nilópolis, Mesquita, São João de Meriti, Paracambi, Japeri, Seropédica e Queimados.

Como trocar?

As trocas podem ser realizadas nas lojas Riocard Mais, que foram adequadas para o cumprimento das normas de prevenção à covid-19. As unidades contam com separadores de fila para demarcar o distanciamento interno, totem com álcool em gel acionado por pedal e adesivos que marcam o caminho a ser percorrido da chegada até a saída das lojas. Todos os colaboradores trabalham com EPIs, e as lojas são higienizadas a cada três horas, de acordo com todos os protocolos de segurança indicados e recomendados. As lojas funcionarão em dias úteis até as 19h com distribuição de senhas e a unidade da Central do Brasil abrirá aos sábados exclusivamente para a substituição dos cartões.

Para receber o novo cartão gratuitamente, o cliente precisa apresentar o modelo antigo do VT. Não é necessário mostrar documentação, mas atenção: a troca deve ser feita pelo titular do cartão, já que o benefício é pessoal e intransferível. A troca é realizada de forma simples. Ao migrar para o Riocard Mais, o passageiro mantém os créditos de transporte do antigo cartão e os benefícios tarifários atrelados a ele, como o Bilhete Único Intermunicipal (BUI). Para dar mais transparência ao processo, o cliente recebe no ato da troca um comprovante com os valores dos créditos de transporte que estavam disponíveis no modelo antigo.

Com a atualização dos validadores, o antigo Vale-Transporte não será mais aceito nos meios de transporte nessas cidades. A medida é necessária para a evolução do sistema de bilhetagem eletrônica – o cartão Riocard Mais é o único aceito em todos os meios de transporte e pode ser utilizado em 43 cidades do Estado do Rio.

Via: O Dia
Próximo Post