domingo, 24 de outubro de 2021
17 °c
Rio de Janeiro

Advogado de jovem negro quer que acusação de furto seja tratada como racismo

Casal de brancos que acusou o instrutor de surfe de furtar uma bicicleta irá responder por calúnia, informou a Polícia Civil

Rio – O advogado criminalista Bruno Cândido, que irá acompanhar o processo de Matheus Ribeiro, acusado por dois jovens brancos de furtar uma bicicleta elétrica no Leblon, disse que irá buscar a tipificação de racismo no caso do instrutor de surfe. O rapaz foi abordado, no sábado, pelo casal de brancos em frente ao Shopping Leblon. O objetivo, segundo Cândido, é encaminhar a ocorrência para a Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (Decradi).

“Queremos que o caso seja investigado pela especializada exatamente pela incapacidade da delegacia local conceber que aquele foi um crime racial. Segundo, queremos sustentar a legislação que obriga que a entidade policial registre a ocorrência como racismo quando a vítima afirmar que é racismo, de acordo com a lei 2235/1994”, explicou.

Próximo Post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *